Imprimir
16
Nov.

Madrid: A PICM colabora no seminário internacional O Mercado de Trabalho Emergente da Crise Económica e Social e a sua Repercussão na Criação de uma Sociedade mais Justa

picm01A Plataforma Internacional de Cooperação e Migração foi a entidade colaboradora na realização do seminário internacional "O Mercado de Trabalho Emergente da Crise Económica e Social e a sua Repercussão na Criação de uma Sociedade mais Justa", que teve lugar em Madrid, nos dias 11 a 13 de novembro de 2016.

A atividade foi organizada pela Fundação Humanismo e Democracia - H+D, sócio Fundador da PICM, com o financiamento da União Europeia e do Centro Europeu para os Assuntos dos Trabalhadores (EZA).

O seminário permitiu analisar as políticas laborais levadas a cabo em diversos estados-membro da União Europeia, no âmbito da estratégia Europa 2020, assim como o papel do Diálogo Social na construção de um futuro melhor para todos.

Na inauguração, em que intervieram Rafael Rodríguez-Ponga, presidente da Fundação H+D e da PICM, Piergiorgio Sciacqua, copresidente do Centro Europeu para os Assuntos dos Trabalhadores – EZA, e Pablo Gómez-Tavira, diretor-geral de Serviços Sociais e Integração Social da Comunidade de Madrid, foi salientado, entre todos, o compromisso de ajudar na continuação da construção de Europa.

eza4bisJosé Ignacio Echániz, deputado e porta-voz da Comissão de Emprego e Segurança Social, desenvolveu a palestra sobre Políticas de Emprego e Perspetivas Sociais em Espanha, em que destacou que é necessário trabalhar no sentido de conseguir trabalhadores com um bom nível de empregabilidade, estimulando as empresas a criarem emprego e, desse modo, poderem manter o nosso atual sistema de bem-estar.

Eugenio Nasarre, presidente do Movimento Europeu Espanhol, apresentou Verónica Lope Fontaigné, eurodeputada e membro da Comissão de Emprego e Assuntos Sociais do Parlamento Europeu, que desenvolveu a palestra Evolução do Mercado de Trabalho e da Situação Social na Europa. Na sua intervenção, destacou a aposta da UE nos direitos sociais complementares às políticas económicas.

O sábado começou com o tema Igualdade de Oportunidades de Emprego entre Homens e Mulheres. Maribel Alañón, diretora de H+D, introduziu a palestra de Carmen Quintanilla, parlamentar na Assembleia do Conselho da Europa e presidente da AFAMMER, que analisou a situação laboral da mulher em Espanha, reclamando avanços na igualdade de oportunidades no trabalho, na partilha de licenças para cuidar dos filhos e planos de igualdade que fomentem o emprego, a conciliação laboral e o combate à violência de género.

Nereyda Blanco, coordenadora de projetos de Imigração da H+D, introduziu a palestra sobre o papel dos sindicatos na integração laboral de pessoas em risco de exclusão social. Belén Navarro, secretária de Igualdade e Ação Social do sindicato USO Madrid, explicou o trabalho realizado para melhorar as condições do trabalho das empregadas domésticas.

eza8De seguida, teve lugar a mesa-redonda Políticas de Emprego e Inserção Laboral na Europa, que foi moderada por Felipe Bragado, membro do Patronato da Fundação H+D. Neste formato intervieram María Reina Martín, secretária-geral da Federação dos Trabalhadores Democratas Cristãos - FTDC – Portugal, Aldo Aledda, vice-presidente da Unione Nazionale delle Associazioni degli Immigrati e Emigrati - UNAIE – Itália, Daniel Markovic, membro do Patronato de Nezávislé Krest´anské Odbory Slovenska - Instituto NKOS – Eslováquia, Panagiotis Gkolfis, Dimokratiki Anexartiti Kinisi Ergazomenon - DAKE – Grécia, e Giancamillo Palmerini, do Movimento Cristiano Lavoratori - MCL - Itália. Desta mesa-redonda foi possível retirar, entre muitas outras, várias conclusões: há que conseguir uma sociedade mais justa, o desemprego jovem é um enorme problema, os trabalhadores mais qualificados emigram, a instabilidade política gera incerteza que afasta os investidores estrangeiros e é necessário trabalhar em projetos de promoção do emprego e da inclusão sociolaboral.

A mesa-redonda seguinte, intitulada Projetos de Promoção do Emprego e Inclusão Sociolaboral, foi moderada por Juan Carlos Barcia, do CEPI de Alcobendas - San Sebastián de los Reyes (gerido pela H+D), e nela intervieram Lucía Maquieira, coordenadora de projetos da H+D na Galiza – Espanha, Luís García, diretor-geral da Fundação Ronsel - Galiza – Espanha, e Marco Bruno, conselheiro nacional do Movimento Cristiano Lavoratori - MCL - Itália.

eza11Partindo da experiência italiana sobre a crise, foi reclamado um novo humanismo do trabalho em que seja a economia a servir o Homem e não o contrário. No caso espanhol, a H+D Galiza apresentou o trabalho de inserção laboral com população em situação de risco de exclusão social e com migrantes. Sobre Empreendimento, a Fundação Ronsel explicou como se pode ajudar as pessoas a criarem os seus próprios projetos empresariais.

O encerramento do seminário esteve a cargo de Antonio Matos, vice-presidente do EZA, Josep Calvo, vice-presidente do EZA, e Rafael Rodríguez- Ponga, presidente da H+D e da PICM. Todos eles agradeceram a participação das diversas entidades, lembrando que todos partilhamos e fazemos a Europa.

Entre em contato

Sede Social: C/ Bravo Murillo, 120. Portal Izq. 1º A. 28020. Madrid. Spain

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

Redes sociais

Twitter

Facebook

Flickr